Os Centros Históricos de Oeiras

No concelho de Oeiras existem 17 núcleos antigos: Algés de Cima, Barcarena, Carnaxide, Caxias, Cruz-Quebrada, Dafundo, Laveiras, Leceia, Linda-a-Pastora, Linda-a-Velha, Oeiras, Paço de Arcos, Porto Salvo, Queijas, Queluz de Baixo, Valejas e Vila Fria.

Os Centros Históricos e os Núcleos de Formação Histórica representam a génese da ocupação urbana no território. Refletindo os valores ancestrais das necessidades das populações, nas suas formas de vivência diária, assumem-se como um importante valor patrimonial de referência histórica, cultural e social.

Ameaçados pela degradação física do seu edificado, pelo envelhecimento gradual do seu tecido social, bem como pelas constantes pressões de transformações urbanas, surge a necessidade de desenvolver uma metodologia estratégica de ação, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida das populações, através da revitalização, reabilitação e valorização das características dos centros históricos, procurando prevenir “revoluções”, promovendo antes “evoluções” graduais, estimulando o desenvolvimento e a continuidade das identidades locais.

A reabilitação e salvaguarda dos Centros Históricos assume uma estratégia de Gestão Global e Integrada de toda esta complexa realidade entendida como um valor patrimonial local, não só em termos físicos mas também cultural, histórico, económico e sobretudo social. Procurando responder às atuais exigências de salubridade e conforto, qualidade e segurança, e ao enorme desafio da recuperação de um parque edificado e espaços públicos que, aos poucos, se reconhece renovado e cujo conjunto se reverte num património urbano reabilitado que a todos valoriza e pertence. O objetivo é, então, o de dotar estas zonas de uma modernidade sem alterar significativamente a sua identidade. O programa Habitar Oeiras é, assim, motor de dinamização desta política que se tem implementado